Ministro da Saúde prorroga lançamento de vacinação indígena e vinda a Cacoal

O lançamento da Campanha de Vacinação das Populações Indígenas da Américas, evento organizado pelo Ministério da Saúde, que seria realizado no próximo sábado (29) em Cacoal foi adiado. A informação foi repassada de Brasília na tarde desta quinta-feira (27) e confirmada por Solange Pereira Vieira Tavares, gestora do Departamento Sanitário Especial Indígena (Dsei) do município, afirmando ainda que a greve em todo país anunciada para amanhã tornou voos a partir de Brasília indisponíveis. Com isso, a vinda do ministro da Saúde, Ricardo Barros, foi transferida para o próximo dia 6, nova data do evento. As aldeias da etnia Paiter Surui da Linha 9 são o local escolhido para o lançamento, que deve reunir 700 pessoas e atrair a mídia internacional a Cacoal.

Chuva incomum mantém Cacoal em emergência; secretarias se unem

Diante da situação que a cidade amanheceu nesta quinta-feira (27), a administração municipal de Cacoal mobilizou as secretarias para que dessem atendimento à população atingida de forma rápida e pontual. Desde a madrugada equipes da Defesa Civil trabalhavam no atendimento às famílias e orientando as pessoas sobre como evitar riscos. Máquinas e pessoal da Secretaria de Obras também estiveram mobilizados, de forma a evitar que as águas causassem mais danos às vias urbanas e às residências atingidas.

Logo nas primeiras horas do dia os secretários se reuniram e deliberaram ações que pudessem ser tomadas de maneira urgente para que os prejuízos fossem amenizados. Com uma quantidade de águas incomum para o período, as chuvas da madrugada da quinta-feira causaram alagações, rios que cortam a cidade transbordaram e obras iniciadas foram prejudicadas.

A situação de emergência, que já havia sido decretada em 15 de fevereiro deste ano, deve ser mantida para as ações a partir de agora. As equipes continuam em atendimento à população atingida e locais que sirvam de abrigo já estão sendo providenciados. Todos os estragos estão sendo catalogados em material fotográfico e de vídeo, para que sirvam de documentação para a nova situação de emergência. As pessoas que precisem de atendimento e apoio devem ligar para a Defesa Civil, no número 3907 4040.

Funccal inicia projeto Escola vai ao teatro

A Prefeitura de Cacoal, através da Fundação Cultural, realiza nesta quinta-feira (27) o Projeto Escola Vai ao Teatro. Alunos de mais de 20 escolas do município irão assistir à peça teatral “Quem descobriu o Brasil?” da Cia. Brasileira de Teatro, Grupo Raízes, de Aracajú/SE e dirigida por Jorge Lins Carvalho.

De acordo com o diretor da Funccal, Emanuel Alves, a finalidade do projeto é incentivar as crianças a frequentarem o teatro e aproximar a cultura da comunidade e que este é um objetivo não só da Fundação como da prefeita.  “A prefeita Glaucione Rodrigues tem nos pedido para que aproximemos a cultura da população, que façamos a diferença à frente da fundação cultural. E é isso que nós estamos fazendo, trazendo a comunidade para dentro do teatro. A idéia é nos fortalecer através dos workshops, que iniciaram ontem, fortalecer grupos teatrais da cidade de Cacoal, para que esses grupos possam posteriormente continuar com o projeto Escola vai ao teatro”, finaliza.

 

 

Workshop para atores é realizado pela Fundação Cultural de Cacoal

A Fundação Cultural de Cacoal iniciou na noite de ontem, dia 26 de abril, o primeiro Workshop para atores de 2017. Ministrado pelo diretor Jorge Lins Carvalho da Cia Brasileira de Teatro e o Grupo Raízes de Aracajú/SE, o curso contou com a presença de mais de 70 participantes, entre atores profissionais e amadores.

Para o diretor da Fundação Cultural, Emanuel Alves, é de grande importância realizar uma oficina como esta no município “Estamos sendo privilegiados, pois estamos tendo a primeira oficina nesta nova gestão. Aproveitamos a oportunidade de trazer esse grande diretor, que é o Jorge Lins, para motivar os atores da nossa cidade, despertar novos talentos. Nosso workshop esta lotado, e isso é um reflexo que as pessoas amam a cultura e estavam esperando ações pela cultura.

O diretor sergipano Jorge Lins explicou sobre como funciona o workshop. “São 3 dias, com 8 horas de duração, onde o que a gente tenta despertar nas pessoas o prazer pelo teatro, descobrir emoções, tenta emprestar um pouco o que tem dentro da alma para o teatro. O workshop pode ser feito por pessoas com experiência, pessoas que nunca viram teatro na vida e até para aquelas que querem usar o teatro como terapia, nós atingimos diversos universos. É uma oficina que não tem idade e não exige nível de experiência do teatro”, completa.