Aconteceu na tarde da última quarta-feira (08), na sede do Ministério Público de Cacoal, o lançamento do projeto Apadrinhando uma História.

O projeto que tem como objetivo sensibilizar a sociedade a apadrinhar crianças e adolescentes que se encontram em casas de acolhimento é idealizado pelo Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia (TJ-RO), com apoio do Ministério Público de Rondônia (MP-RO) e a Prefeitura de Cacoal.

Durante o lançamento, que contou com a presença do secretário de Assistência Social, Elias Moisés e representantes de diversos setores da sociedade, o procurador do município, Walter Matheus Bernardino Silva, representando a prefeita Glaucione Rodrigues, falou do apoio do município e da importância de um projeto como este, “Para o município de Cacoal é uma grata satisfação poder estar prestigiando este projeto, já que o município é responsável pelo abrigo. Projetos dessa natureza têm condições de minimizar, mitigar esse sofrimento e angústia que essas crianças passam. Esse é um problema que afeta a todos, então o município vê com bons olhos essa iniciativa e dentro do que for possível irá colaborar para que esse projeto possa crescer e ganhar efetividade. Pois o objetivo maior é prestar auxilio e alento a essas crianças e adolescentes que passam por essas situações”, afirma.

O apadrinhamento

São três modalidades de apadrinhamento. O afetivo, onde os padrinhos matem contato com a criança, podendo visitá-la ou levá-la para passear e passar fins de semana em casa; o prestador de serviço, onde o profissional liberal, dono de empresas, clinicas ou instituições, se cadastra para atender as crianças e adolescentes participantes do projeto; ou o padrinho provedor, que consiste em dar suporte material ou financeiro a criança ou adolescente apadrinhado.

Os interessados podem participar em mais de uma modalidade de apadrinhamento. É necessário realizar a inscrição no Juizado da Infância portando documentação exigida.