A prefeita Glaucione Rodrigues esteve reunida com a equipe da Secretaria de Agricultura (Semagri), o secretário Donizete Souza da Silva e o empresário e engenheiro agrônomo, Aldo Marcos Silva, discutindo a implantação de uma usina de etanol a base de bata doce no município. O empresário e pesquisador Aldo Silva, que desenvolve biotecnologia para combustível desde 2003, apresentou a proposta para a prefeita Glaucione na manhã desta sexta-feira (28) e explicou a viabilidade do projeto.

“Esse é um programa de etanol social que nós estamos querendo inserir no Estado. Nós queremos inserir a agricultura familiar na matriz energética compondo a cadeia produtiva de etanol, e como na Amazônia não pode ser produzido etanol através de cana, nós temos a batata doce que pode ser usada dentro desse formato de usina flex e é ecologicamente correto e social, e também tem uma viabilidade muito alta, pois quando se produz etanol da batata, também se produz ração animal, que é interessante para agricultura familiar, já que você acaba gerando mais carne, leite e peixe, o resultado é muito interessante”, afirma Aldo.

O pesquisador ressaltou que pretende implantar o projeto em diversas cidades de Rondônia e que já conta com o apoio do Governo do Estado.  “Nós tivemos uma reunião com o governador Confúcio Moura e ele tem um interesse muito grande em desenvolver a agricultura familiar. Então nós estamos fazendo um tour no Estado para ver onde melhor se aplica. Nós já temos alguns municípios como Theobroma e Alvorada, onde a gente já conhece a situação, sabemos da viabilidade. A tendência é que isso aqui se estenda para a Amazônia inteira”, completa.

Durante a reunião Aldo ainda destacou que vê o município de Cacoal como um pólo de tecnologia no Estado e possui condições apropriadas para a produção de etanol, além de oferecer uma boa logística, visto que o município fica em uma BR, possui agricultura familiar disponível e ainda há grande mercado para venda de ração animal.

De acordo com o secretário da Semagri, Donizete Souza da Silva, o projeto trará diversos benefícios ao município. “Nós buscamos conhecer o projeto e desse conhecimento estamos com a prefeita para que a gente possa buscar a viabilidade e implantar esse projeto em Cacoal, onde o produtor vai produzir a batata doce e essa usina vai gerar etanol através da produção. O município só tem a ganhar, a cadeia produtiva vai gerar empregos, produção para o nosso produtor e a questão de divisas, pois uma vez que a gente produz álcool, etanol dentro do município, nós vamos ter um custo beneficio bom”, finaliza.