Assinada Ordem de Serviço para cobertura em centro educacional

Na noite desta quinta-feira (30) foi assinada a ordem de serviço para cobertura de pátio no Centro Educacional Infantil Josino Brito em Cacoal, recursos garantidos por meio de emenda de Glaucione Rodrigues, à época que exercia mandato de deputada estadual. Hoje prefeita municipal, Glaucione Rodrigues assinou o documento em evento na Associação dos Servidores Municipais de Cacoal (Assemuc), onde estiveram ainda pais de alunos para o encerramento do ano letivo de 2017. Participaram da cerimônia, além de secretários municipais e vereadores, o vice-prefeito Elcirone Deiró e o deputado federal, Nilton Capixaba.

Falando sobre os avanços na educação de Cacoal, a prefeita falou que tanto na área urbana, tanto na rural foram feitas obras de melhorias, além de entrega de equipamentos. Um dos pontos de maior importância é a climatização das salas de aula, já iniciadas e que chegarão a todas as escolas municipais.

Outro avanço citado pela prefeita é a liberação da verba do Programa de Valorização das Escoas Municipais de Cacoal (Provemc), que garante recursos para pequenas reformas nas escolas. Até 2018 o planejamento é para que os sete mil alunos atendidos pela Rede Municipal de Ensino tenham carteiras novas. Segundo os dados apresentados pela secretária de Educação, Rosely Vieira, 40% destas carteiras já foram substituídas.

Para a diretora da CEI Josino Brito, Vanilde Simão de Souza, a reforma será feita em boa hora, com o encerramento do ano letivo, e na volta às aulas os alunos terão uma estrutura muito melhor os esperando, o que é um avanço para todos.

Prefeitura dimensiona danos em obra de escola entregue em 2016 para ajuizar ação

Os problemas apresentados por infiltração no forro na obra de ampliação da escola José de Almeida, em Cacoal, foram registrados tão logo foi entregue, ainda em 2016, no final da administração anterior. Iniciada em 2013, a obra passa atualmente por uma série de laudos técnicos do setor de Engenharia da Secretaria de Planejamento, para que a partir daí a atual administração municipal possa tomar medidas judiciais contra a empresa responsável pela construção. Atualmente, por questões legais, não há meios para que a Prefeitura acione imediatamente a empresa, já que é preciso um dimensionamento de dano, para que os recursos que terão que ser aplicados na reconstrução do forro, e outros problemas, seja informado aos responsáveis pela obra.

O processo administrativo sobre a Escola José de Almeida está no setor de Engenharia e de lá, depois do dimensionamento do dano, segue para a Procuradoria-Geral do Município, para que seja ajuizada a ação. Essa medida já poderia ter sido tomada na administração anterior, já que os problemas foram apresentados tão logo a obra foi entregue, ainda em 2016.

Toda a ação visa o ressarcimento dos recursos aplicados na adequação da obra, já que da forma que está não atende aos requisitos estipulados em edital e não permite que os alunos possam utilizar as salas novas, que ficam no pavimento superior.