Prefeitura de Cacoal mapeia margens dos rios e agradece a população pela solidariedade

 

Um mapeamento habitacional e populacional às margens dos rios Pirarara, Salgadinho, Tamarupá, Riozinho e Machado está sendo feito pela Prefeitura de Cacoal, com objetivo de saber o número de residências e pontos comerciais vulneráveis às enchentes. Técnicos da Defesa Civil do município estão indo às residências com questionários das informações sociais e também sobre quantas vezes a família teve que enfrentar as cheias nos últimos cinco anos. O coordenador da Defesa Civil do município, Pedro Buralli, diz que, desta forma, poderão ser tomadas medidas estratégicas, como socorrer primeiramente as famílias em locais mais susceptíveis às alagações, em caso de novas enchentes.

Usando como exemplo a ação de um morador das proximidades da nascente do Rio Pirarara, que repassou no último sábado fotos do volume de águas ao vice-prefeito, Elcirone Deiró, antes que chegasse à cidade, possibilitando antecipar as medidas de ajuda à população, o coordenador da Defesa Civil diz que são fundamentais o levantamento dos moradores às margens dos rios e estratégia para evitar os problemas causados pelas enchentes. Com as informações repassadas pelo morador foi possível mobilizar Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e as secretarias municipais para atuarem em ajuda aos ribeirinhos já por volta do meio dia do sábado.
“A Cidade de Cacoal convive com uma triste realidade que se arrasta há anos, porém, a Prefeita Glaucione Rodrigues está determinada em resolver de uma vez por todas esta situação, que são os constantes alagamentos e o sofrimento das famílias que sempre são atingidas no período chuvoso”, disse Buralli.
A quantidade de construções habitacionais e comerciais que ao longo dos anos foram feitas nas Áreas de Preservação Permanente(APP), o hábito de alguns moradores em jogar lixo nas margens dos rios, a as galerias com tamanho insuficiente para o volume de águas do Rio Pirara no eixo central da BR-364 são apontados como os principais problemas para as enchentes, por Pedro Buralli. “Apesar das ações já realizadas por esta gestão, eles insistem em continuar com esta pratica de jogar lixo. Para que a população tenha uma ideia da gravidade desta situação, no final de 2017 foi realizada uma força tarefa, na qual foram retiradas aproximadamente nove toneladas de lixo somente do Rio Pirarara. Entre o lixo retirado tinha vários sofás, geladeiras, fogões, aparelhos de ar condicionado, vasos sanitários e muitos outros pertences de grande porte, e hoje se percorrermos as margens dos rios, com certeza vamos encontrar outras toneladas de lixo desse tipo”, enfatizou.
Sobre as galerias, Pedro Buralli diz que “talvez seja o grande desafio da Prefeita Glaucione. Sem sombra de duvidas, podemos considerar a principal causa das maiores alagações. Para que tenhamos uma noção melhor do problema, vamos analisar a questão. A marginal direita no sentido Cuiabá / Porto Velho, possui uma galeria de aproximadamente 20 metros de largura, ao lado desta galeria temos as duas do eixo da BR com apenas seis metros de largura e com uma coluna de concreto no meio, logo em seguida temos a da marginal esquerda com dez metros de largura, o que seria suficiente para passar todo o volume das águas se não tivesse um gargalo de seis metros no meio. A Prefeita e o Vice Prefeito tem tentado sensibilizar as autoridades federais, buscando a liberação de recursos para construir galerias maiores. Somente com esta ação é que poderíamos resolver este problema das enchentes, já considerado crônico em Cacoal”.
Mesmo com todas as dificuldades, o coordenador da Defesa Civil destacou que um ponto fundamental para que os problemas do último sábado não tenham sido maiores é a solidariedade do povo de Cacoal. “Gostaria de salientar que é impactante o espirito de solidariedade do povo cacoalense, todas as classes se unem com o propósito de ajudar o próximo, é impressionante a disposição da população em ajudar uns aos outros sempre que necessário, parabéns a todos”, finalizou o Coordenador da Defesa Civil de Cacoal.