A Secretaria Municipal de Saúde de Cacoal (Semusa) faz um apelo para que grávidas e puérperas procurem a Central de Vacinação para tomarem a vacina contra covid-19. O maior índice de recusa por se vacinarem entre as grávidas preocupam as autoridades sanitárias, especialmente por serem elas pertencentes ao grupo de maior risco em caso de contaminação.

Das 39 mortes de mulheres grávidas ou puérperas em Rondônia, 35 delas morreram por essa doença, conforme relatou o experiente médico obstetra Donizete Camargo de Freitas, que atua na saúde pública de Cacoal há 22 anos. O médico ressalta que esse índice, alarmante, é um alerta que precisamos levar em conta e incentivar às grávidas e puérperas a se vacinarem.

Além de ser uma doença pulmonar, a covid também atinge outros órgãos e o principal problema dessa doença são os efeitos trombóticos. Os riscos de trombose, segundo o médico Donizete de Freitas, são maiores em grávidas e a falta de vacinação potencializa os riscos de morte.

O médico faz uma apelo para que essas mulheres se conscientizem da importância da vacinação. Ele conta que infelizmente, com as redes sociais, há muita propagação de notícias falsas, alegando que a vacina pode causar risco ao feto e às mães. Segundo o médico, é justamente o contrário. É o coronavírus que cria sérios riscos para o feto e para a gestante, que pode morrer, caso não seja imunizada contra essa doença.

A Secretaria Municipal de Saúde de Cacoal está especialmente preocupada com o avanço de uma nova cepa de coronavírus, conhecida como Delta, e que é muito mais agressiva e com elevado grau de espalhamento, caso a população não tome as medidas adequadas para o enfrentamento a mais esse perigo que nos rodeia. A única maneira de deter o vírus e evitar que ele causa mais mortes e sofrimentos é a vacina.

Por fim, o médico pede também que os maridos de mulheres grávidas ou puérperas as incentivem para que procurem imediatamente a central de vacinação para evitarem o risco de contrair a doença, perder a vida e deixar os filhos órfãos.

Dagliane Schulz conta que ao saber que a vacina Pfizer estava liberada, correu para tomar a vacina, seis dias antes do nascimento do bebê. Ela agora voltou para tomar a segunda dose, com o filho de três meses, no colo e saudável..

A prefeitura de Cacoal está fazendo a sua parte e já aplicou aproximadamente 83 mil doses de vacinas, das quais foram 60 mil da primeira dose e quase 23 mil completaram o ciclo vacinal com duas doses, mas depende também de os cidadãos se conscientizarem da importância da imunização nesses tempos difíceis que a humanidade atravessa.

Um reforço importante para dar às grávidas um motivo a mais para tomarem a vacina contra covid-19 vem de Pernambuco, onde se constatou que não houve caso de mortes entre mulheres que tomaram as duas doses da vacina naquele estado.