Projeto de Recuperação de solos e nascentes de Cacoal entre os 10 melhores do Brasil

Os trabalhos atendem agricultores, indígenas e garantem a sustentabilidade dos recursos naturais para subsistência nas propriedades rurais

Cacoal está entre os 10 finalistas do prêmio nacional MuniCiência, da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), pelo projeto de recuperação de solos e nascentes. O trabalho foi potencializado pela Prefeitura de Cacoal, e já recuperou mais de 40 nascentes, levando água potável para subsistência das famílias e sustentabilidade das propriedades na agricultura.

Merece destaque o fato de que cinco das prefeituras têm mulheres à frente da administração, são eles: Goiás (GO), Monteiro Lobato (SP), Cacoal (RO), Conde (PB) e Pedra Branca do Amapari (AP).

Sustentabilidade para o futuro

“O alcance do projeto vai além da recuperação das nascentes, a água chega às casas de pessoas que tinham pouco acesso a este recurso, um programa com foco no meio ambiente e na educação ambiental, já que os agricultores, indígenas e beneficiados aprendem a técnica e se tornam propagadores e agentes de conservação ambiental”, analisou a prefeita Glaucione Rodrigues.

Na Linha 9, a 50 km de Cacoal, onde vivem 25 famílias indígenas, que produzem café e castanha para comercialização, uma linda nascente foi recuperada. O cacique da aldeia, Rafael Suruí disse que foi a primeira vez que a gestão municipal teve olhos para esta questão ambiental na aldeia. “Esta é a primeira vez que isso acontece na aldeia, então isso é histórico pra nós, agradeço a prefeita por isso”, enfatizou.

Parceria

O programa tem apoio do Conselho Municipal de Agricultura, que traz as demandas das propriedades que tem maior necessidade, e também conta com parceria de empresas que fazem a doação das pedras e suporte das Secretarias de Obras, Agricultura, e SAAE.

Cultura: Centro de Convenções dos Suruís vai abrir as portas para o turismo nas aldeias

O espaço será construído no meio da reserva indígena 7 de setembro, na aldeia Gabgir, a 18 km da sede central, em um local sagrado para os suruís, entre pedras, cachoeira e belezas naturais. Neste lugar viveu o ancião patriarca da família, o cacique Wãwã Ixotih, que dá nome ao instituto criado para fomentar o turismo. Filho de Ixotih, o cacique Joaquim Suruí, sonhou com a ideia de manter a cultura original e apresentar os suruís para o mundo.

O sonho do cacique Joaquim Suruí foi um legado deixado aos seus descendentes. Agora, o filho Anderson Suruí, que é professor indígena, o coloca em prática. “A ideia é transformar o centro em uma referência local, nacional e internacional, uma espécie de start up indígena. Um centro de inovação para que a gente fortaleça e mostre nossa cultura”, explicou.

Nesta semana eles apresentaram o projeto que será executado para a construção do Centro de Inovação e Intercâmbio Palagah Global. A iniciativa tem apoio da Prefeitura de Cacoal, Funai, Distrito Sanitário Indígena (Dsei), Seduc e apoio da Slegers Family, da Alemanha.

Cultura e ancestralidade

Nas malocas construídas com palha de babaçu, as mulheres indígenas de 54 famílias suruís, vendem seu artesanato. Colares, vasos de cerâmica, brincos de penas, cestos de palha, garantem parte da subsistência das famílias. Os homens trabalham nas lavouras de café e criação de gado.

Riqueza cultural

A riqueza cultural, as histórias e a força da tradição são mantidas. O artesanato indígena tem toda uma ritualística de produção. Na aldeia 100 mulheres produzem os vasos de cerâmica, um dos trabalhos mais lindos e minuciosos. Edna Suruí contou que só as anciãs detêm o conhecimento sobre a técnica, passado a tempo para a próxima geração. Elas colhem a argila e um local secreto, e apenas algumas mulheres participam do processo. “A gente vai para um lugar especial para recolher a argila e ninguém pode saber onde é, as mulheres grávidas e as que estão menstruadas não podem participar”, disse.

Turismo

Além da cultura os cenários amazônicos são atrativos importantes para o turismo, tanto de passeio quanto de eventos e intercâmbio cultural. O espaço deve sediar cursos, palestras e troca de experiências culturais. O fortalecimento do setor é foco do trabalho da Prefeitura de Cacoal, em parceria com outras entidades. Segundo o secretário de Indústria, Comércio e Turismo, Elias Nunes, o trabalho no desenvolvimento do turismo é fundamental para a manutenção da cultura.

Cacoal apareceu este ano em destaque no mapa do turismo regional, divulgado recentemente pelo Ministério do Turismo, subindo da categoria C para a categoria B.

Em Rondônia são 25 municípios no Mapa do Turismo, Cacoal aparece entre os municípios mais bem posicionadas no interior. O turismo rural e turismo em terras indígenas é um dos focos do trabalho. “Este destaque no mapa do turismo é um estímulo para estruturar o turismo, temos trabalhado em várias frentes, com o reestabelecimento e organização do Conselho Municipal de Turismo, e temos tudo para crescer, tendo em vistas as belezas naturais e a cultura tradicional como atrativos”, concluiu Elias.

 

Eficiência energética: Troca de pontos de iluminação por lâmpadas de LED vai gerar economia de R$ 770 mil aos cofres da prefeitura

A prefeita Glaucione Rodrigues confirmou investimentos na melhoria da iluminação pública em Cacoal. A ação será executada por meio do projeto de Eficiência Energética programada para o final de outubro e contemplará a troca de 1.158 pontos de iluminação por lâmpadas de LED. A empresa contratada pela Energisa mantém este projeto custeado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A prefeita esteve reunida com engenheiros da empresa e os vereadores Tim e Valdeci Goleiro e o assessora da vereadora Maria Simões, Rivelino, para ajustar detalhes para o início dos trabalhos.

A troca da iluminação será feita em todo o eixo da BR, de rotatória a rotatória e também nas avenidas Belo Horizonte, 7 de setembro, Porto Velho, 2 de junho e avenida São Paulo.

A substituição vai representar uma economia de energia de mais de R$ 770 mil por ano para o município. Segundo o engenheiro de projetos da Energisa Soluções, Leonardo Gaspar, a troca de lâmpadas será iniciada em outubro, e deve ser concluída até dezembro.

A prefeita Glaucione Rodrigues ressaltou o fato de que na atual gestão foram trocados 10 mil pontos de iluminação e com isso a cidade tem hoje 15 mil pontos. Sendo uma das cidades mais iluminada do eixo da BR 364.

1ª Virada cultural capital do café terá shows musicais e lançamento de livro

Uma noite inteira de atrações musicais, arte, exposição de carros e lançamentos.  Assim será a Virada Cultural, a ser realizada no próximo sábado, dia 28 de setembro, das 18h às 6h da manhã de domingo, no espaço Beira Rio. O evento é uma realização da Prefeitura de Cacoal, por meio da Fundação Cultural (Funccal).

Várias atrações musicais vão animar a noite, com show do cantor Kiko Zambianchi, bem como bandas regionais de Cacoal, com destaque para: DJs  Diego Silva e Jonh Blak, Kelismar Loreto, Banda Feras da Farra, banda Bons Aliados e banda Distopia de Porto Velho.

Também será feito o lançamento do livro “Honorários Advocatícios”, do advogado Hélio Vieira e de Zênia Cernov. Será realizado ainda o terceiro encontro na rota do pacífico e exposição de carros antigos e rebaixados. O evento é gratuito e aberto à comunidade, participe!

 

Audiência Pública para apresentação de relatório Quadrimestral será dia 25 de setembro

Na próxima quarta-feira será apresentado o relatório quadrimestral de ações realizadas pela Prefeitura de Cacoal, por meio das secretarias. A audiência pública será na Câmara Municipal, no dia 25 de setembro (quarta-feira) a partir das 14h.

A ação visa ainda a demonstração da metas atingidas em cumprimento ao PPA, LDO e LOA, de acordo com a lei de Responsabilidade Fiscal e legislação vigente, e é uma ferramenta do poder público para demonstrar à comunidade as principais realizações em prol do município.

A audiência pública é aberta à comunidade e um instrumento da democracia. Participe!

Presidente do SAAE esclarece informações referentes ao tratamento de água e esgoto em Cacoal

O Presidente do SAAE, Jadir Hentges usou a tribuna da Câmara de Vereadores de Cacoal, a convite do vereador Paulinho do Cinema, para esclarecer pontos importantes referentes ao abastecimento de água e tratamento de esgoto no município. Amostras de água foram apresentadas para mostrar como está sendo realizado o tratamento de esgoto, na lagoa localizada na RO 383.

Jadir esclareceu que o processo de tratamento dentro da lagoa é feito durante 20 dias em media. “Quando o esgoto é tratado e despejado no rio Machado, temos indicadores e exames que comprovam que os índices estão dentro dos parâmetros normais legais”, disse, ressaltando que a demanda aumentou muito nos últimos anos, sendo necessários mais investimentos na estrutura.

Desde 2009 o número de ligações de água no município saltou de 18 mil e 900 ligações, para atuais 30 mil ligações de água, um aumento de 62% na demanda, com a mesma estrutura de abastecimento e distribuição de 10 anos atrás. Em relação ao tratamento de esgoto a realidade também não é diferente. “Há uma década havia 6,5 mil ligações de esgoto e atualmente são 18 mil ligações com a mesma estrutura da lagoa de tratamento”, explicou.

Vários bairros têm sido contemplados com aumento da rede de esgoto, entre eles o Brizon, no qual foram feitos 1,2 mil ligações, outros bairros também serão contemplados com aumento da rede de esgoto, entre eles: Novo Cacoal, Conjunto Halley, Village do Sol II entre outros. O projeto de redimensionamento da rede de esgoto em Cacoal deverá ser iniciado em breve.

Novos investimentos

Sobre o projeto de R$ 47 milhões, para mudança no sistema de abastecimento e distribuição de água em Cacoal, já está aprovado pela Caixa, aguardando apenas a liberação pelo Ministério das Cidades.

Geração de renda: 675 famílias atendidas com cursos do Senar até o final deste ano

Centenas de pessoas já passaram por treinamentos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) em Cacoal 
 
Nesta sexta-feira a prefeita Glaucione Rodrigues e o deputado Cirone Deiró participaram da conclusão do curso de Defumados, realizado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), com parceria da Prefeitura, na associação União Capixaba, na linha 11. Na oportunidade mulheres que vivem na região aprenderam a defumar carnes, produzir bacon, linguiça e outros produtos com carne suína, bovina, de carneiro, além de peixe e frango.
 
O secretário de Agricultura, Sidcley Sotelle, e a mobilizadora dos cursos do Senar, Cleonir Barbosa, também participaram do encerramento do curso. Segundo Cleonir, este ano o Senar deve chegar a 675 famílias atendidas em Cacoal. Só na modalidade de defumados já foram atendidas mais de 50 mulheres. 
A presidente da Associação de Mulheres Departamento Feminino Beija-Flor, Maria de Fátima, disse que as mulheres da linha 11 já se reúnem mensalmente para vender pastéis e queijo na associação, e agora a expectativa é de produzir defumados: “Agora vamos nos organizar para produzir não só para as famílias, mas também para vender”, disse.
A prefeita Glaucione Rodrigues sugeriu às mulheres aperfeiçoarem e organizarem a produção, já que o mercado para a venda do produto existe: “Em Cacoal temos 42 agroindústrias extremamente organizadas, e nenhuma neste segmento”, analisou. O deputado Cirone Deiró se prontificou a auxiliar com recursos as mulheres, que pretendem montar uma mini panificadora.
Apicultura 
Na Secretaria de Agricultura também foi feito o encerramento do curso de Apicultura, oferecido durante toda a semana. A atividade também está sendo impulsionada por meio de cursos, este já é o terceiro nesta modalidade realizado em Cacoal pelo Senar. 

Caminhão é entregue para transporte da produção dos agricultores atendidos pelo PAA

Centenas de agricultores são beneficiados pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) em Cacoal

Nadir Bianchini produz hortaliças orgânicas na área rural de Cacoal, numa pequena chácara próxima à cidade. Vende principalmente nas feiras, realizadas na cidade. Porém o excedente da produção muitas vezes era perdido, já que o alimento é perecível. Há três anos ela vende parte da produção para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que paga um valor comparável ao preço para o consumidor final, garantindo vantagens para o agricultor. “Para mim tem sido ótimo este programa, por que o que a gente não vende na feira pode vender para o PAA, além de beneficiar quem mais precisa”, disse.

Nesta terça-feira ela e outros 122 agricultores que vendem para o programa tiveram uma boa notícia. A Secretaria de Estado de Agricultura (Seagri) entregou um caminhão, adquirido por meio de convênio federal, para atender ao programa em Cacoal. A prefeita Glaucione Rodrigues recebeu as chaves do veículo na Secretaria de Agricultura. Segundo ela o programa, que era gerido pela Emater, foi assumido pela Prefeitura de Cacoal há alguns meses. “Entendemos que Cacoal é uma cidade de pequenas propriedades e fomentar a agricultura é garantir a sustentabilidade e a base econômica da agricultura familiar, que é tão forte no nosso município”, salientou.

O programa

A Prefeitura adquire atualmente 110 itens, entre os principais: Frutas, legumes, hortaliças, peixe, frango, ovos, cereais e leguminosas, além de ovos, iogurte e polpa de frutas, provenientes das agroindústrias locais. Segundo a responsável pelo programa, Elaine Cristina, os alimentos são doados a entidades assistenciais do município. “São 19 entidades assistidas, entre as principais abrigos, casas de apoio, pastoral da criança, Cernic, entre outras”, explicou.

Outros materiais

Além do veículo também foi entregue à Secretaria de Agricultura diversos móveis e equipamentos, entre os quais: Mesas, cadeiras, computadores e ar condicionados.

Desfile de 7 de setembro será alusivo à história do Brasil

Este ano o desfile será realizado no distrito do Riozinho

O desfile de 7 de setembro este ano será realizado no distrito do Riozinho, a partir das 8h30, na rua Capitão Rui Luiz Teixeira, em frente à praça. Serão 29 escolas participantes, entre municipais e estaduais.

A Prefeitura de Cacoal, por meio da Semed organizou o desfile de forma que os alunos apresentem a evolução histórica do Brasil, percorrendo vários contextos, entre os quais: Condições naturais, sociais, econômica e política; desde sua descoberta, passando por colônia portuguesa, culminando em sua independência da submissão à coroa portuguesa, alcançando sua hegemonia na data áurea de 7 de setembro de 1822. Será uma aula VIVA de história.

Na oportunidade serão apresentadas ações do programa Escola Viva, que está transformando a educação de Cacoal, com formação continuada, valorização profissional, melhoria do transporte escolar, bem como reforma e revitalização das 24 escolas urbanas e rurais, entre outras melhorias.

Festa do café se consolida maior evento de fomento à cafeicultura em Rondônia

Pelo menos 15 mil pessoas acompanharam a feira, no espaço Beira Rio em Cacoal

“Comparada ao ano anterior a festa teve um crescimento e um alcance extraordinário”. A fala é do representante da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), Antonio Tafuri, que ficou impressionado com a repercussão, atrações e movimentação do setor cafeeiro durante a II Festa do Café, realizada neste dias 30 e 31 de agosto, no Beira Rio, em Cacoal.

Foi durante a festa do ano passado que a Agência se interessou pelo café de Rondônia e começou a desenvolver parceria para a criação da Indicação Geográfica do Café e a criação da Caferon (Cafeicultores Associação da região das Matas de Rondônia), que hoje fomenta o setor. “A Caferon está aí pra isso, trabalhar as políticas públicas e promover a adesão dos produtores, estamos trabalhando com as políticas públicas para fazer este elo com o governo e as indústrias e empresas produtoras, mostrar pra eles que temos um produto diferente com o valor de forma diferente, que merece ser valorizado no mercado, este é o nosso trabalho”, explicou o presidente Juan Travain.

A impressão dos visitantes foi a mesma dos prefeitos, deputados, lideranças ligadas ao setor cafeeiro, e da população de Cacoal, que lotou o Beira Rio durante a festa. Foram dias de muitas palestras, exposição de produtos de empresas locais, faculdades, lançamento de livro indígena, feira de artesanato apresentações culturais, concurso de beleza para eleição da rainha do café e gastronomia com mais de 30 produtos à base de café.

Empresas parceiras e artesãos apresentaram e comercializaram produtos, com destaque para a feira regional de artesanato, que reuniu 80 artesãos de 12 municípios da região. Foi apresentado um stand com peças de museu, alusivos à cultura do café, produzido pela Fundação Cultural, Apresentações culturais com os povos indígenas, Pomeranos e lançamento de cartilha indígena sobre meio ambiente, para ser utilizada nas escolas indígenas.

Entre as atrações musicais destaque para a dupla Wesley e Maurício, de São Paulo, que se apresentou na sexta-feira.Muitas apresentações culturais e visitação aos stands no sábado durante todo o dia, além de Encontro de prefeitos da Indicação Geográfica Matas de Rondônia, palestras temáticas, degustação de café, trilha de motos e passeio ciclístico.

Fomento à cafeicultura

A prefeita Glaucione Rodrigues falou sobre o sentimento de compartilhar tantas conquistas do setor, e a festa do café é uma forma de marcar culturalmente e economicamente o crescimento da produção, qualidade e valorização do produto rondoniense. “Pra mim é um orgulho receber tantas pessoas que trabalham para o crescimento da cafeicultura. Rondônia na época de baixa chegou a produzir cerca de 3 milhões de sacas de café, no auge da produção, depois caiu para apenas 600 mil sacas, na época de baixa da produção, em que as famílias arrancarem os pés de café para fazer pasto. Hoje vemos a retomada da cafeicultura, e este ano a estimativa é de se chegar até a 2,5 milhões de sacas este ano. Cacoal retoma o título de capital do café, mas é o eixo central de toda uma região de 15 municípios que compõem a Indicação Geográfica do Café”, concluiu.

Concurso da rainha do café

A candidata do município de Castanheiras, Ana Carolina foi eleita rainha do café 2019. Após uma disputa acirrada entre 10 lindas jovens que representam os municípios que compõem a Indicação Geográfica do Café. Em segundo lugar ficou a candidata de Cacoal, Ana Beatriz e em terceiro a jovem Bianca Klause, de Alta Floresta.

O concurso da rainha do café foi um dos momentos mais esperados da II Festa do Café. Candidatas de 10, dos 15 municípios que compõem a Região da Indicação Geográfica do Café (IG) participaram da disputa acirrada pelo título, representando Cacoal, Ministro Andreazza, Castanheiras, Santa Luzia, São Felipe, Novo Horizonte, São Miguel do Guaporé, Alto Alegre dos Parecis, Alta Floresta e Nova Brasilândia.

Filhas de agricultores, estudantes de áreas técnicas ligadas à atividade agrícola e outros cursos elas mostraram, além de beleza, conhecimento sobre a cafeicultura nos seus municípios. Na passarela elas deram um show de beleza, desenvoltura e fizeram bonito com coreografias e roupas alusivas ao café. O público lotou o Beira Rio para o desfile, na noite de sábado.

Premiação

A premiação é um incentivo para que as jovens invistam em educação por meio da parceria de faculdades locais.

A 1ª Colocada ganhou uma Bolsa de 100% em qualquer curso da UNESC no Campus de Cacoal); R$ 1 mil em Tratamentos Estéticos na Clínica Magras; e 1 noite com acompanhante no Cacoal Selva Park.

A 2ª Colocada ganhou Bolsa de 50% em qualquer curso da UNESC, no Campus de Cacoal; R$ 1 mil em Tratamentos Estéticos na Clínica Magras; e 1 Celular Samsung J2 Core oferecido pela NOVALAR.

A 3ª Colocada ganhou R$ 500 em compras no Mundial Shop e R$ 1 mil em Tratamentos Estéticos na Clínica Magras.

As outras 7 candidatas que disputaram o título também ganharão desconto de 50% para fazerem qualquer curso na faculdade Fanorte.

1 2 3 33